Distrito Industrial
Prefeitura Municipal Adamantina


Trata-se de uma ação sociocultural que exerce forte influência na formação humana. Trabalha aspectos físicos, emocionais, intelectuais, sociais e culturais e desenvolve princípios básicos de disciplina, solidariedade, dignidade, caráter, criatividade, constância, segurança e fraternidade, em uma importante e decisiva faixa etária.

Sua história também está associada à Companhia de Agricultura, Imigração e Colonização (CAIC) que, em 1937, voltou sua atenção para a zona do espigão do Aguapeí-Peixe, reiniciando a colonização da região em continuidade ao processo que já havia começado no Estado. A partir de negociação entre a CAIC e a firma Boston Castle Company Limited, ficou estabelecido, então, que, em 1938, seria aberto um caminho na mata, aproveitando-se os trechos mais antigos.

Nesse mesmo ano, foi iniciada a abertura das estradas laterais de penetração e, sob a direção do engenheiro Alberto Aldwini, também a venda de terras. O plano de colonização da CAIC dividiu a gleba em pequenos lotes, eliminando o latifúndio e formando propriedades com área média de 10 alqueires, todas servidas por água e estradas.

O surto cafeeiro e a chegada da ferrovia com ponto final no município proporcionaram o rápido crescimento de Adamantina e da área que se estendia até o Rio Paraná, fazendo convergir, para a região, passageiros e a produção agrícola. Em 24 de dezembro de 1948, foram criados o distrito e o município de Adamantina com território desmembrado do distrito sede de Lucélia e do distrito de Aguapeí do Alto, atual município de Flórida Paulista.


- 1937: Chegada dos primeiros habitantes da região - funcionários da Companhia Agrícola Imigração e Colonização -CAIC.

- 1938: Término da abertura do caminho que liga a cidade de Tupã a Adamantina.

- 1939: Início dos loteamentos na região.

- 1947: Construção do primeiro cinema e outras edificações.

- 1948: Em 24 de dezembro é sancionada a Lei nº 233, criando o Município de Adamantina.

- 1949: Em 2 de abril é instalado o município. Primeira eleição municipal.

- 1950: Criação e instalação da paróquia de [Santo Antônio]. Desenvolvimento da infraestrutura com a chegada da estrada de ferro, delegacia de polícia, posto de saúde, ampliação da rede elétrica, ginásio e escola normal, pavimentação, etc...



Geografia

Latitude: sede do município: 21º 41' 07" - Sul

Longitude: sede do município: 51º04"21" - Oeste

Altitude: 453 m

Área Total: 412 km²



O Brasão das Armas de Adamantina, de autoria do heraldista Profº. Arcinóe Antonio Peixoto de Faria, é descrita nos seguintes termos heráldicos:

"Escudo samnítico encimado pela coroa mural de oito torres, de argente, em campo argente, posta em abismo, uma cruz flordelizada de góles e vazia de argente e acantonadas quatro achas de sable. Como suporte, à dextra, um galho de café frutificado no natural e à sinistra um ramo de amendoim, estrecruzado em ponta, sobre os quais se sobrepões um listel de góles, contendo em letras argentinas o topônimo "ADAMANTINA", ladeado pelos milésimos "1939" e "1948".

O Brasão, descrito neste artigo em termos prórpios de heraldica, tem a seguinte representação simbólica:

A - O escudo samnítico, usando para representar o Brasão de Armas de Adamantina, foi o primeiro estilo de esculo introduzido em Portugal por influência francesa, herdado pela heráldica brasileira como evocativo da raça colonizadora e principal formadora da nossa nacionalidade.

B - A corôa mural qua sobrepões é o símbolo universal dos brasões de domínio que, sendo de argente (prata) de oito torres, das quais apenas cinco são visíveis em perspectiva no desenho, classificada a cidade representada na segunda Grandeza, ous seja, sede de Comarca.

C - Em abismo, centro ou coração do escudo a cruz flordelizada de góles (vermelho) e vazia de argente (prata) tem duplo significado - a cruz simbolizando o espírito cristão do povo de Adamantina e a flor-de-lis lembrando a formosura e a nobreza da mulher cujo nome adveio o topónimo adotado para a cidade; a cor góles é símbolo de amor-pátrio, dedicação , fertilidade, audácia, intrepidêz, coragem valentia - o metal argente (prata) é símbolo de paz, amizade, trabalho, prosperidade, pureza, religiosidade.

D - As achas de sable (preto) acanteadas no escudo, representam no Brasão a epoéia do desbravamento das matas, ainda no início do ciclo de colonização; a cor sable (preto) é o símbolo de austeridade, prudência, sabedoria, moderação, firmeza de caráter.

E - Nos ornamentos exteriores, o café e o amendoim, representam os principais produtos oriundos da terra dadivosa e fértil, esteios da economia municipal.

F - No listel de góles (vermelho, em letras argentinas (prateadas), inscreve-se o toponio "ADAMANTINA", ladeado pelos milésimos "1939" de sua fundação e "1948" de sua emancipação política.



A Bandeira Municipal de Adamantina, de autoria de heraldista Proº. Arcinóe Antonio Peixoto de Garia, da Enciclopédia Heráldica Municipalista será esquartelada em faixa, sendo os quartéis vermelhos contituidos por três faixas brancas carregadas de sobre faixas pretas, dispostas no sentido horizontal,que partem de um triângulo branco - firmado na trabalha, onde o Brasão Municipal é aplicado.

De conformidade com a heráldica portuguesa, da qual herdamos os cânones e regras, as bandeiras municipais podem ser oitavadas, sextavadas, esquarteladas em sautor, em cruz ou em faixa e ainda terciadas, tendo por cores as mesmas contantes do campo do escudo e estentando ao centro ou na trabalha uma figura geométrica onde o Brasão Muncipal é aplicado.

A Bandeira Muncipal de Admantina obedece essa regra geral, sendo esquarteladaem faixa, simbolizando icnográficamente a cidade planejada, segundo o critério adotado pela CAIC - Companhia de Agricultura, Imigração e Colonização de dividir a gleba em propriedades com área média de 16 alqueires, todas servidas de água e estradas.

O triângulo branco, firmado na trabalha, representa a própria cidade-sede do Município e é símbolo heráldico da liberdade, igualdade e fraternidade; cor branca é símbolo da paz, amizade, trabalho, prosperidade, pureza religiosidade; o Brasão contido nessa figura geométrica representa o Governo Municipal. As faixas que partem do triângulo, brancas e carregadas do sobre-faixas pretas simbolizam a irradiação do Poder Municipal que expande a todos os quadrantes de seu território; a cor preta é símbolo da auteridade, prudência, sabedoria, moderação, firmeza de caráter. Os quartéis vermelhos assim construídos, representam as propriedades rurais existentes no território Municipal; a cor vermelha é símbolo da fertilidade, dedicação, amor-pátrio, audácia, intrepidez, coragem, valentia.


Prefeito
Márcio Cardim
Telefone1
18 3502-9000
Telefone2
Fax
18 3502-9000
Website
www.adamantina.sp.gov.br
E-mail
gabineteadt@adamantina.sp.gov.br